quinta-feira, 31 de maio de 2007

A moça quase

E foi que um dia surgiu:
Uma moça quase

Que bela ela era!
Que errada ela era!
Era quase, era quase

Era uma sereia
encantadora como tal
cantava para mim
quase cantava

Sem hesitar
Corpo e alma
Entreguei

Quis completar
Quis ser parte
de algo que não me era
Me dei
mal

E agora, no tentar me desenlaçar
Percebo minha bobeira:
A moça quase

4 comentários:

Ivan Candolo disse...

Cara... ela mexeu mesmo com você, hein!!!

Plínio disse...

Fala seu Anderson

Meu, hoje acabei de ler todos os posts que faltavam do seu blog, como li com a ordem toda trocada este foi o último.

Agora me sinto na obrigação de deixar um comentário então vou utilizar o assunto deste post:
Cara, tem uns travestis por aí que realmente enganam a gente.


abraço

Anderson Petroni disse...

Grande Plinião! Saudade de suas caronas e comentários muito bem colocados. Foi como esse que vc deixou no blog; colocou no melhor lugar possível e eu senti isso. Espero ver vc se colocando mais vezes por aqui! Gde abraço!

Anônimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu