quinta-feira, 12 de julho de 2007

Poema Piada

Um certo deus
depois de muito observar
a tristeza de uma estátua
resolveu presenteá-la
com vinte minutos de vida

_O que você deseja
nesses poucos instantes
de vida?

_Apenas uma pomba.

Pobre pomba...

domingo, 8 de julho de 2007

Escultor desastrado

A vida me vem com intenções poéticas
Me pega de assalto - criminosa que é

Deixo.

Só depois me empenho,
o acontecimento já se deu,
em achar palavras certas

Mas aos poucos, sutilmente,
a vida vai me convencendo
a rachar certas palavras:

Pouco importa o que eu acho
Interessante é o que eu racho.

Me desculpem os leitores

Boa tática essa de já começar se desculpando. Explico que tenho não um, mas dois motivos pra me desculpar já de antemão. O primeiro é porque o tema deste post é uma citação. A primeira do blog. Um delito alheio. O segundo motivo é a agressividade da citação. Ataque direto aos leitores. Não aos leitores deste blog. Aos leitores de blogs em geral. Aos leitores em geral. Estou também incluído na crítica. Portanto se você ficar bravo, fique bravo com o autor da frase e não comigo. Ok? Lá vai então:

"...Pobre do poeta! Escreve para dar satisfação, simplesmente... e querem obrigá-lo a dar satisfações!" - Mario Quitana in "Porta Giratória"

Pode ser que eu me arrependa mais tarde de já ter revelado o autor da frase. Mas isso foi unicamente pra evitar incovenientes com a minha pessoa. Foi o que disse, fique bravo com o autor e não comigo. Mas fico imaginando como seria mais interessante colocar apenas a citação e esperar alguém perguntar "de quem é?", ao que eu responderia "do Mario" e...
Mas confesso que fiquei com medo de ninguém perguntar e estragar a piada.