quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Aquilo que trago há muito tempo

Repete-se ao longo de mim
algo que agride e agrada

estala meu todo
eriça
entranha e estranha

revela o que sei
refigura
revigora

doce essência
insustentável
que invade
vias
expande
explode
retorna eterno

Num átimo
que é
vivenciar o perfume barato
da namoradinha que nunca existiu