segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Aquilo que sobra de uma impossibilidade

Para alcançar o que busco
seria preciso não ter feito
aquilo que fiz
que irreversível é

Restam besteirinhas
como reparar em
árvore que nasce
de acordo com o vento

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

estações passadas

Vem o trem
Cai semente
falta pomba
cresce o mato
some o trilho

ninguém lembra que ali um dia houve uma linha

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

confissão

sabia que tinha muitos
mas foi entrar na salinha
esqueceu cada pecado
quase fugiu de vergonha

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

"fazer cobrança"

a chave que dispensava as fichas
(começava a mágica!)
"_Vê lá o marcador pra mim."
óculos amarelados
letra cuidadosa
(aquele charme de antigamente)
confere com calma
no ritmo da pescaria
o pano verde,
a bola branca,
tirar o nível,
testar caçapas,
mas ela tinha que quicar
"_Não.
Não joga ela direto!
Joga pra bater aqui..."
E Pisca-pisca era quase sempre seguido de algum
"_Pisca-pisca é o teu cu!"
e aquelas risadas boas de bar

Passar a mão num pano de mesa bem esticadinho
imitando aquele gosto que só ele tinha nisto
é coisa que me aperta o coração
de saudades de meu vô.

sábado, 19 de novembro de 2011

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Tempos atrás, muito antes de eu chegar ao Guimarães

uma professora chata se encarregou de me introduzir
ao conteúdo poético:

chover
não era necessariamente intransitivo

e a reflexão era possível

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Em poucas linhas

minha poesia se divide basicamente
em quase quatro linhas:
constatações e conselhos
inúteis,
e historinhas.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Presente de casamento

Panela de pressão
me dá medo

muitas vezes
não respeito
nível máximo

noutras
mantenho
fogo alto

mas,
não desisto
me arrisco

Apesar de incorrigível
Sou apaixonado pelo sabor do feijão!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Astronomia

Nenhum avanço tecnológico
me serviu pra aprender
a virar estrela

Acho que se trata de algo imune
a avanços tecnológicos.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Sugestão de itinerário para assalariados

Acordar no horário habitual.
pegar três ônibus para lugares desconhecidos.
em cada local agradecer três pessoas desconhecidas
tratando-as por nomes aleatórios.
procurar uma árvore com boa sombra e tirar um cochilo.

- retomar as obrigações como se nada tivesse acontecido.

Se estiver indagando-se sobre qual desculpa apresentar no trabalho,
temos algo em comum.

Abra um sorriso.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

entre postes

tufo de mato
quando em fio
- daqueles que amarram nossas ruas
feitos pra coisas correrem neles
velocidade
chega o mato
e tufo!

são pequenas explosões
quase inofensivas
contra nossas bobas exigências
de rapidez e efi-ciência

coisas da natureza...

terça-feira, 12 de julho de 2011

Dica de sobrevivência

Panhar amoras no jardim do dia-a-dia.
bater cartão.
desfilar perenes manchas no traje de trabalho.

domingo, 5 de junho de 2011

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Questão de lógica

Tinha tudo e ainda era triste.
Só não tinha se dado conta disto,
logo, não tinha tudo.

terça-feira, 17 de maio de 2011

figurinhas

Dona Margarida com seu tédio
debruçado sobre os braços
firme na janela
Seu olhar dança
com um certo dar de ombros
E não fosse o tédio, os cabelos brancos e as rugas
seria uma criança

Admirada percebia novidade
naquela seisdatarde
sentia-se feliz em aumentar
sua coleção
seu álbum de vida

terça-feira, 3 de maio de 2011

sexta-feira, 8 de abril de 2011

inspirações

Dizem que o avião é fruto de um certo desejo de pássaro dos humanos

E, no entanto, há mais desejo de pássaro naquele que bebe água num rio sem utilizar as mãos
que naqueles que voam

terça-feira, 5 de abril de 2011

Sobre os "comentários" nos sites de notícias

Apenas um breve desabafo e uma sugestão: o campo localizado abaixo das notícias, nos mais variados sites deste gênero, deveria ter sua nomenclatura alterada de "comentários" para "julgamentos". Não acho que estes julgamentos acrescentem algo, pois são um amontoado de opiniões rasas pouco fundamentadas reafirmando o mais do mesmo. Mas, ainda que não se resumissem a isso (alguns julgamentos são de fato bem fundamentados e estruturados ou, mais raro, até interessantes), o próprio formato do julgamento limita o alcance destes textos. Se os leitores soubessem ler, saberiam que se trata de um espaço reservado à comentários (além do termo que marca o local reservado, temos, na maior parte dos casos, o imperativo: comente!). Aqueles que ignoram as indicações do próprio site não se dão conta de que um comentário tem inúmeras possibilidades: pode acrescentar fontes que dão embasamento ao texto, ou, que funcionam como contra-argumentos; pode relembrar fatos pouco destacados no texto, mas que podem ter importância decisiva no sentido geral do texto; pode revelar algo sobre o próprio autor do texto (para conferir autoridade ou problematizá-la); pode desenvolver algum ponto levantado pelo texto; pode apontar falhas de argumentação; etc, etc, etc. Um comentário pode muito mais e é infinitamente mais potente e livre do que um pobre e arrogante julgamento. Mas, a preguiça geral impele a enorme maioria dos leitores à facilidade do julgamento: - façamos jus ao que é escrito, mudemos o nome deste campo para "julgamentos"! É uma pena quase ninguém conseguir comentar nos tempos de hoje...

quinta-feira, 31 de março de 2011

quarta-feira, 16 de março de 2011

Sobre a condição humana

As vezes me enche
um sentimento de coragem
diante da possibilidade
iminente do ataque
de um grilo

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Dissonâncias

Um olhar com malícia que se atreve
encontra um outro olhar e assim enceta
feitura de um acorde. Em semibreve:
com nuca, seio, língua, mão e a meta

Dedilhando alguns toques ritmados
viradas pulam bruscas no compasso
tecidos se contorcem esmagados
arranjo dissonante, ato devasso

Esfarela-se o tempo no cenário
vão dúvidas e dívidas também
A musicalidade do ato vário
sopro de liberdade que advém

É um acontecimento, um gozo: mágica!
Uma harmonização que é desarmônica

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

será que era?

foi encontrada estirada
corpo cheio de saúde
faltou humor àquelas
que velavam seus maridos

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

só carícias

Carinho só de mão é coisa triste.

Se tem olhar,
respirar,
exalar,
hesitar,
escutar,
e mil outras
coisas misteriosas...

cada carícia é um acontecimento!

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Um peixe-boi num trailer

acordamos na cama
no meio da grama
o sol na testa e um monte de decisões amontoadas

não era fácil encontrar os acordos
no meio de tanta bagunça
somávamos desordens e adiamentos

Mas eu podia mijar
da cama
na grama
Enquanto ela rodopiava
na outra ponta

da nossa cama
a gente entende
e nem tudo
é pura
loucura

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Conectando...

cigarro e o mendigo
criança e o brinquedo

ser sem ter
ter sem ser
só ser
só ter

as vezes,
tudo isto
só entorta
o estar só

mesmo em rede