quarta-feira, 30 de novembro de 2011

confissão

sabia que tinha muitos
mas foi entrar na salinha
esqueceu cada pecado
quase fugiu de vergonha

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

"fazer cobrança"

a chave que dispensava as fichas
(começava a mágica!)
"_Vê lá o marcador pra mim."
óculos amarelados
letra cuidadosa
(aquele charme de antigamente)
confere com calma
no ritmo da pescaria
o pano verde,
a bola branca,
tirar o nível,
testar caçapas,
mas ela tinha que quicar
"_Não.
Não joga ela direto!
Joga pra bater aqui..."
E Pisca-pisca era quase sempre seguido de algum
"_Pisca-pisca é o teu cu!"
e aquelas risadas boas de bar

Passar a mão num pano de mesa bem esticadinho
imitando aquele gosto que só ele tinha nisto
é coisa que me aperta o coração
de saudades de meu vô.

sábado, 19 de novembro de 2011

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Tempos atrás, muito antes de eu chegar ao Guimarães

uma professora chata se encarregou de me introduzir
ao conteúdo poético:

chover
não era necessariamente intransitivo

e a reflexão era possível