quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Falso Rogo

O louva-a-deus é um bicho duplamente herege:
Seu deus tem dê pequeno
Quando em dois, politeíza:
louva-deuses!


excomunga!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Resgate da meninice

o cachorro do caminhão de gás
tem pata a mais

permanganato de potássio
é banho de suco

e eu gostava mesmo era de
marvadeza

domingo, 29 de novembro de 2009

Fora da vitrina

Com a mãe na loja chique
roupas e mais roupas
tudo muito comprativo
e o moleque embasbacado
com o manequim de moça
pelado

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Aquilo que trago há muito tempo

Repete-se ao longo de mim
algo que agride e agrada

estala meu todo
eriça
entranha e estranha

revela o que sei
refigura
revigora

doce essência
insustentável
que invade
vias
expande
explode
retorna eterno

Num átimo
que é
vivenciar o perfume barato
da namoradinha que nunca existiu

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Combinações

Estávamos celebrando: amor, teatro, dansa, vídeo, música e vida. O que estava em jogo era tudo mesmo. E, não obstante, existem coisas que de tão potentes brilham de cor e transformam o resto da cena em P/B: as formigas sugando a gota. As formigas se agigantando e engolindo não mais a gota. A gota virando mar. As formigas engolindo meu eu.

Um pouco mais poeta

O soco seco da revelação
de uma poesia que não é minha

depois, saborear
extemporaneamente
todo o meu
DESMÉRITO

sexta-feira, 26 de junho de 2009

À sua repartição

Venho por meio desta requerer um pouco de poesia
em sua triste burocracia

Em anexo, declarações de amor e a alma de algumas pessoas
______ para serem preenchidas

Peço a gentileza de encaminhar no barro
com o corpo todo descalço

É de extrema desimportância:
lançar mão de frestas nas janelas
para emaranhar a sala do escritório
com incontáveis blocos contendo: sopro de vento

Solicitamos urgente atenção para a elaboração de escritos
Ser serelepe no trato com a língua
eis a regra

Dispachar aquele prego enferrujado

no meio do paiêro
Assina em cima
Assina em cima

Se possível, verter menos tinta agapê
face abaixo


assinado

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Cadê

Cadê

Cadê
Cadê

Cadê

Cadê

?

?

? ?

Entre os meus
é sempre

Mas num é aqui

num é lá

É acolá que tá!

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Solista

a tristeza de chorar sozinho
diante de algo belo o bastante
para nos engolir

em meio a uma platéia
intragável

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Marcha da vida

O faro leva o olho
e dá numa cena:
eis o velho
um rádio
e é carnaval

Um diante de outro
não se sabe
qual mais antes

O velho tentava entrar com a cabeça
dentro do aparelho
num esforço pra ouvir
e o som era grande

Cena simples
que, no entanto
derreteu-se
revelando outra:


eis o velho
é carnaval

pleno

pois o som...
o cheiro...
a imagem...

o fato é que ERA

quinta-feira, 21 de maio de 2009

O Mundo dá Voltas

me encontro em plena luta
contra palavras

num crescente desencanto

caduco com coisas que
antes aclamava
acho bobo
tudo aquilo que
não é bobo

fecho os ouvidos
pro que antes proferia

vejo minha imagem
nitidamente
ridícula

reajo fugindo

e

chego

novamente

em

mim