terça-feira, 3 de junho de 2008

x vidas

O cenário era caótico:
um prédio em chamas!
Estavam lá os bombeiros e faziam o possível.
Chegou uma mulher aos prantos e berros a um deles:
_Meu filho está lá! É uma criança de 2 meses de vida!
_Qual andar?
_Quinto!
Heróicamente o homem adentrou o prédio em chamas,
mas chegando lá não encontrou criança alguma.
Também não encontrou o caminho de volta.
A mulher, desvairada, correu até o viaduto
e jogou-se
Foram duas mortes e a criança nem existia: a mulher era doida.


Mas vamos dizer que foram três mortes,
pra garantir o happy ending.

3 comentários:

Anônimo disse...

Eu pessoalmente gosto muito do final original...
Saudades de vc, seu furão! Não foi à formatura pq? Sentimos sua falta...
Ósculos
Paula

Jonas Brandão disse...

Que legal, Xanterson. Você está cada vez melhor.

karla disse...

ao acaso encontrei teu blog; E adorei, especialmente esse poema