quarta-feira, 15 de agosto de 2007

um delicado presente do inconsciente

Esta noite sonhei com ela. Estava eu com outra, ela com outro, mas era como se houvesse apenas nós dois. Imagens de amigos surgiam e sumiam rapidamente, uma após a outra. Então, estávamos realmente a sós. Queríamos nos beijar, mas não era possível. Não conseguíamos nos beijar, mesmo existindo só nos dois. Criamos um túnel com nossas mãos, ligando nossas bocas. Ela, então, soltou sua alma pelos lábios, passando primeiro por suas mãos, depois pelas minhas e sendo sugada desesperadamente pela minha boca. Depois foi minha vez de assoprar. E, então, seu rosto estava coberto de delicadas gotículas, as quais imaginei que fossem minha saliva. Seu rosto era perfeito. Com minha mão enxugava e acariciava-a, desculpando-me e explodindo de amor e contemplação. Depois foi um corte brusco, escuridão; e acabou.

2 comentários:

Tiago eugenio disse...

esse sonho foi picanha, celular, cadeira, ventilador, vitamina e aleluia. Mas cara sabia que Zeus fez quase o mesmo com sua primeira esposa Tetis. ps: quando nos vermos me pergunta que te conto a historia.

Anderson Petroni disse...

Este presente foi um sonho q tive com um antigo amor, uma menina q me enfeitiçou desde quando eu era bem pequenininho. Encontrei esse sonho anotado em uma agenda, perdido entre as páginas rabiscadas, e fiquei feliz!