segunda-feira, 25 de maio de 2009

Solista

a tristeza de chorar sozinho
diante de algo belo o bastante
para nos engolir

em meio a uma platéia
intragável

Um comentário:

Anônimo disse...

Grande Anderson, finalmente publicando textos novos!!!
Faça sempre!
"Ocê alumia as nossa idéia!
Andreia