sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

o poeta
observa
não se contenta
obversa
pra além da infância
mimética da arte
servo ao
verso.

2 comentários:

Estevão Daminelli disse...

e o quanto esta servidão é liberdade...

talvez a mais possível.

Anderson Petroni disse...

Sim, talvez. E como eu sou tiete daquela velhinha de São João, vou meter o dedo dela por aqui pra prosear com a gente... Acho q ela concorda e ainda trás a filô misturada:


Kant (relido)

Duas coisas admiro: a dura lei

cobrindo-me
e o estrelado céu
dentro de mim.