terça-feira, 7 de agosto de 2012

Injeção de maturidade

Perdi boa parte
De meu tempo de pequeno:
Não fazia arte;
Chorava, o corpo doendo.
Lancinantes dores
De reumatismo infantil,
Expurgado a duras
Doses de benzetacil.

Agora, um adulto.
Injeção alguma eu temo,
As dores aceito
Pois sei: serei sempre arteiro.

Nenhum comentário: