segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Aquilo que sobra de uma impossibilidade

Para alcançar o que busco
seria preciso não ter feito
aquilo que fiz
que irreversível é

Restam besteirinhas
como reparar em
árvore que nasce
de acordo com o vento

5 comentários:

Carol disse...

legal achar um blog atualizado aqui (:
to come'cando a gora, gostei bastante do seu. lindo poema!

→ Lisy* disse...

Suas palavras tem verdade, descontração e sensibilidade.
A.M.E.I e muito!

Um ótimo 2012 pra vc!

Otavio Ranzani disse...

sem palavras

Luís Gustavo Brito Dias disse...

- o vento ja nos é muito, imagine então as árvores que com ele pode nascer (?).


grande abraço.

cuide-se.

Anderson Petroni disse...

Obrigado a todos que aqui chegaram com as brisas!