domingo, 24 de janeiro de 2010

Longo passeio

Quer dar uma volta, filho? Vou ao banco. Saía o moleque feliz da vida. Na calçada o desenho do mosaico era respeitado pelas pisadas. Não podia andar em linha reta, como o pai fazia. E o pai se irritava com isso: anda direito, moleque! O pai tinha um objetivo, uma meta, um fim onde queria chegar. O garoto estava apenas passeando. Para um, o andar reto é imprescindível. Para o outro, não. O problema é que o garoto continuou andando daquele jeito pelo resto da vida. Mas nem todo mundo olha para o chão, onde está o desenho do mosaico. E não é que a vida está cheia desses mosaicos? O problema é que os nossos objetivos desviam nossos olhares... Mas o garoto continua passeando e pelo que tudo indica vai continuar por muito tempo ainda.

Um comentário:

beijodamorte disse...

Simples e profundo! Altamente filosófico.
Vai longe.......