quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Nossa triste saciedade

O garoto agarra a pobre garota
e o que ele ganha
é água no deserto

Seu amor não passa de garganta seca
ato triste e tolo
vontade de buceta

carne se esfregando
troca de líquidos corporais

eis a nossa
saciedade.

E se a vontade é de caralho,
se a sede é da garota:
o garoto é mais pobre ainda!

Somos mesmo um animal social
Um triste animal social

5 comentários:

Anderson Petroni disse...

E, no entanto, não há como negar que um oasis é sempre bem vindo, ainda mais quando estamos prestes a morrer...

Tati disse...

Os meninos têm pressa. As meninas não. Os meninos perdem o fôlego. As meninas perdem a cabeça...

Anderson Petroni disse...

Nossa Tati, eu fico tão inseguro qdo vou falar sobre meninos e meninas... Mas esse poema é bem emblemático para o momento q estou passando. Um estado desértico eu diria. E digo o mesmo para o blog. O Pequenos Delitos estava passando por uma fase bem desértica como vc deve ter notado. Postei para sair desse estado, um pouco de água por favor! Mas seu comentário jah me faz lembrar q muitos oasis são apenas miragens. O deserto é um lugar muito perigoso, mas sem dúvida um ótimo lugar para se auto conhecer um pouco. Se for miragem, nos resta sorrir e continuar caminhando. Caminhando, sorrindo e dançando!!! Valeu pela visita.

Bjos

Maria Carolina disse...

Concordo com a Tati.
Rs...

Tiago eugenio disse...

Eu quero uma mulher e quero agora....

Soh existe uma maneira de naum sermos apenas animais, eh despertarmos para a essencia da realidade, vermos com olhos de nossa alma, e digo a ti caro amigo, hehehehe, o sexo eh o ritaul mais lindo e poderoso.